terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Adeus bochechas

O Mário Soares faz parte do meu imaginário infantil, da minha memória afectiva, foi o primeiro politico que conheci e que tenho memória.
Um dia ele veio a Setúbal e eu estava a porta do meu ballet com a minha mãe, quando ele se aproximou, e com aquela confusão toda de abraços, beijos para aqui e para ali, achei-lhe graça, um homem simpático, alto, a quem sorri e que pegou em mim e deu-me um beijinho e falou comigo, a partir desse dia, nunca mais o esqueci, o bochechas para aqui e para ali.
Quando foram as eleições lá andava eu na minha mala com um autocolante do Mário Soares é fixe, andava eu na primária, autocolante esse que fazia arrancar sorrisos a muita gente, porque eu eleitora informada, dizia que ia votar no meu bochechas 😊
Claro que com o tempo, fui aprendendo e vendo que era um político com muitas falhas e não tão fixe como no meu imaginário infantil, mas foi um grande político e ele fez com que tivéssemos muitas das coisas que nos podemos orgulhar hoje em dia, e vai fazer sempre parte da nossa história, como um grande vulto da política portuguesa, e nunca será esquecido.
Eu nunca o esquecerei...


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A chegada do novo ano

Passamos em casa e depois perto da meia noite fomos ver os fogos, como já e nossa tradição.
Foi uma entrada calma e feliz, como gostamos.
A Pimpolha feliz porque bebeu vinho, como ela dizia 😀😀








terça-feira, 3 de janeiro de 2017

De volta à rotina

Hoje custou-lhe muito acordar, mas quando se levantou lá foi ela, toda contente de regressar à escola e ir ver os seus amigos.
O que vale é que com a minha Pimpolha tudo é muito fácil.


segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

2017

E começa novo ano, novo mês, num instante chegamos aqui.
Começamos com novas resoluções, planos, etapas...
Vamos lá embora começar com muita alegria e vamos lá traçar novos planos, regressar ao ginásio, comer menos porcarias, comer melhor, tentar ser saudável e esperar que eu e os meus tenham saúde.


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016


Pode ser que um dia deixemos de nos falar…
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.
Pode ser que um dia o tempo passe…
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.
Pode ser que um dia nos afastemos…
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.
Pode ser que um dia não mais existamos…
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.
Pode ser que um dia tudo acabe…
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.
Albert Einstein

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016